Relações entre a qualidade do run of mine e o consumo de água no processamento de minério de ferro - Ietec

Relações entre a qualidade do run of mine e o consumo de água no processamento de minério de ferro

Mestre
Junio Moreira Rodrigues
Este trabalho descreve as relações entre teores e granulometria do run of mine (ROM), e o consumo de água em uma usina de beneficiamento de minério de ferro. A previsão do consumo foi obtida por meio da aplicação de ferramentas estatísticas em cenários de redução da qualidade do ROM, servindo como referência de predição também em cenários de restrição de captação em períodos de grande estiagem e no caso de expansão de produção. As análises e as estimativas de consumo de água foram feitas para consumo total, recirculação e adição de água nova no processo. Apresenta-se a comparação entre valores captados de água nova e o consumo em cenários de restrição com redução de 30% do valor de outorga. A seleção das melhores variáveis preditoras ocorreu pela aplicação da função Stepwise do Minitab e demonstra significância na aplicação da regressão linear múltipla. Os impactos por falta de água para operação da usina de beneficiamento de minério de ferro ocorrem em cerca de 30% do período avaliado. O comparativo entre consumo total de água e os teores de Fe e SiO2 demonstram forte correlação. Na usina avaliada, cerca de 85% do ROM está na granulometria menor que 1 mm, sendo que o ferro e a sílica acumulam-se com maior frequência na fração -1 + 0,15 mm. Os resultados demonstraram que as frações granulométricas abaixo de 1 mm apresentaram maior impacto no consumo de água.
Palavras-chave: Consumo de água. Beneficiamento de minério de ferro. Teores. Granulometria. Estimativa por equações.
Baixar dissertação completa

Data: 23/02/2018

Banca avaliadora: Profa. Dra. Júnia Soares Alexandrino - UEMG, Profa. Dra. Wanyr Romero Silva - Ietec, Profa. Dra. Aline Pereira Leite Nunes - Ietec (Orientadora )

À Prof.ª Aline Nunes, minha orientadora, pela sua atenção durante a preparação do trabalho. Aos colegas de trabalho pelo incentivo, em especial ao Técnico de Mineração e responsável pelo controle de processo, Eduardo Moreira. Aos engenheiros de processos, João Batista, Geraldo Barros e José Marcio Ribeiro. Ao supervisor de processos, Josemar Costa, e aos gerentes Alberto Inácio e Karina Rapucci. Aos gerentes executivos, Marcos José Santos e Rodrigo Chaves. Aos membros da banca examinadora, pela leitura do texto e pelas sugestões e críticas oferecidas ao trabalho.