PROCESSAMENTO DE MINÉRIO DE FERRO A SECO: ESTUDO DE CASO A SUDOESTE DO QUADRILÁTERO FERRÍFERO - Ietec

PROCESSAMENTO DE MINÉRIO DE FERRO A SECO: ESTUDO DE CASO A SUDOESTE DO QUADRILÁTERO FERRÍFERO

Mestre
Fernando Duarte Amorim

O processamento mineral a seco vem ganhando protagonismo devido à viabilização de determinados depósitos minerais, localizados em locais inóspitos ou por nenhuma ou baixa utilização de recursos hídricos. A grande maioria das usinas de processamento de minério de ferro no Quadrilátero Ferrífero (QF) são dotadas de circuitos por via úmida e necessitam de sistemas de filtragem, secagem e controle do percentual de água de seus concentrados e rejeitos, além de complexas estruturas para a disposição desses rejeitos. Os depósitos de minério de ferro a sudoeste do QF possuem características mineralógicas que vêm permitindo o aproveitamento destes minérios, a partir do uso da separação magnética em circuitos totalmente a seco, gerando produtos que são absorvidos pelo mercado, maximizando o aproveitamento dos depósitos de minérios. Este trabalho, demonstra que os resultados obtidos pelo processamento a seco via separação magnética implantado em um processo industrial para o minério de ferro, são viáveis apesar das restrições analisadas e que existem oportunidades significativas de ganhos com a continuidade dos estudos. Observou-se que a partir de alimentações médias entre 45 e 50% Fe, foram obtidos concentrados com teores entre 64 e 67,7% Fe e rejeitos com teores entre 30 e 40% Fe. A umidade e o FeO podem ser considerados como principais entraves na eficiência da separação magnética, contribuindo para os elevados teores de Fe observados no rejeito

Data: 17/12/2020

Banca avaliadora: Prof.ª Dra. Aline Pereira Leite Nunes; Prof.ª Dra. Wanyr Romero Ferreira; Prof. Dr. José Helvécio Martins

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com