Avaliação da maturidade no gerenciamento da manutenção: a consolidação da manutenção na gestão de ativos - Ietec

Avaliação da maturidade no gerenciamento da manutenção: a consolidação da manutenção na gestão de ativos

Mestre
Delmer Aguiar Cesário

Com o advento da PAS 55 (2008) (Especificação Técnica do The Institute of Asset Management (IAM) para a Gestão Otimizada dos Ativos Físicos) e ABNT NBR ISO 55.000 (2014) (normas de gestão de ativos) a questão de se gerenciar ativos de forma estruturada e metodizada toma força e possibilita que as organizações definam suas estratégias de gestão de ativos quando da definição de seus respectivos planejamentos estratégicos. Colocando o foco na gestão de ativos físicos, e entendendo que a estruturação da área da manutenção é a porta de acesso para se obter o máximo rendimento e desempenho dos ativos durante todo o seu ciclo de vida, tomar conhecimento de quão preparada está essa fundamental área, é fator crítico de sucesso de todo e qualquer projeto de certificação em gestão de ativos. Algumas estatísticas da manutenção brasileira caracterizam este departamento e reforçam a necessidade de focar ações na busca de uma estruturação a ser considerada fator crítico de sucesso na busca da excelência. Dentre as estatísticas estão as que afirmam que a organização da manutenção se apresenta, nos dias atuais, de forma centralizada (estrutura com responsável e equipe de trabalho atuando em todas as áreas) em cerca de 47% das empresas (e com tendência de crescimento); que o percentual de empregados próprios na manutenção é, em média, de 24% em relação ao total dos empregados das empresas; que apenas 7.4% do pessoal de manutenção possui nível de escolaridade superior; que em relação à multi-especialização (múltiplas funções), na área de manutenção, se apresenta como uma tendência nos últimos 10 anos; e de que os custos de manutenção, em média, são de 4.2% em relação ao faturamento bruto e de 3.6% em relação ao patrimônio imobilizado das organizações.

Estamos preparados para a Gestão de Ativos ? Este trabalho teve como objetivo principal propor um método de medição do nível de maturidade na gestão da manutenção nas indústrias brasileiras, independentemente do segmento que pertençam. Esta diagnose é configurada por meio de respostas a um questionário estruturado em cinco pilares, onde três empresas dos segmentos automotivo, manufatura e de logística de transportes, que participaram desta amostra, tomaram conhecimento, conforme preconizado pelo princípio da terotecnologia, do quão as áreas de manutenção estão “aquém” de se familiarizarem com uma realidade já presente em organizações, dos mesmos segmentos, de países como Alemanha, Estados Unidos da América, Japão e Inglaterra. Nesses países, o pessoal, a cultura da organização, a gestão por indicadores, a maximização de resultados e o acompanhamento de todo o ciclo de vida dos ativos, já é uma realidade, lembrando que o surgimento da 4ª revolução industrial, em

empresas originárias desses países, não pode ser mais considerado como uma novidade. Outro ponto percebido é que estratégias específicas para a manutenção nas organizações brasileiras são, em vários casos, inexistentes, uma vez que essa fundamental área é vista como aquela que gera “custo” para o processo produtivo. De posse do resultado alcançado pela diagnose proposta, essas organizações, dentro do modelo proposto pela PAS 55 (2008) e validado pela ABNT NBR ISO 55.000 (2014), terão condições de definirem seus Planos de Gestão de Ativos – Asset Management Plans (AMPs), para que os objetivos estratégicos sejam alcançados.

Palavras-chave: Ativo. Classificação de equipamentos. Diagnóstico. Estratégia, Gerenciamento. Gestão de ativos. Manutenção. Planejamento. Sistema de gestão de ativos. ISO 55.000. PAS 55.

Baixar dissertação completa

Data: 03/02/2017

Banca avaliadora: Prof. Dr. João Esmeraldo da Silva - UFOP, Prof. Dr. José Helvécio Martins - Ietec, Prof. Dr. George Leal Jamil IETEC (Orientador)

Ao meu Mestre George Leal Jamil, um exemplo a ser seguido. Inteligência, competência e parceria dignas de um profissional diferenciado. Pela paciência demonstrada, o meu eterno agradecimento. Sorte minha ter sido orientado por tão nobre figura humana. Ao mestre José Helvécio, meu mais nobre exemplo de humildade e sabedoria, um especial agradecimento pela dignidade demonstrada durante o período de orientação.