ANÁLISE DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E EXERGÉTICA EM SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO INDUSTRIAL DE UMA PLANTA FRIGORÍFICA - Ietec

ANÁLISE DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA E EXERGÉTICA EM SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO INDUSTRIAL DE UMA PLANTA FRIGORÍFICA

Mestre
Davidson Santiago Tibúrcio

A indústria frigorífica é o setor industrial que tem a carne como matéria prima no processo de industrialização e para tal utiliza ciclos de refrigeração de larga escala, para fornecer utilidades frias às etapas de armazenagem, manipulação e conservação da matéria prima. As indústrias frigorificas destacam-se por serem grandes consumidores de energia. O sistema de refrigeração deve operar de forma otimizada para que todo o processo seja realizado com maior eficiência. Este trabalho realiza o estudo da eficiência energética e exergética de um sistema de refrigeração industrial, instalado e em funcionamento em uma indústria frigorífica da região metropolitana de Belo Horizonte, e, apresenta sua analise exergoeconômica. Os compressores utilizados nesta planta são do tipo parafuso que representam cerca de 50% de todos os compressores atualmente produzidos no mundo. Eles têm larga aplicação nas indústrias alimentícia e bebidas, farmacêuticas e indústrias químicas. Dois tipos de acionamentos foram considerados com a finalidade de apresentar a diferença básica entre um método e outro: o acionamento por soft Starter (Liga / Desliga) e o acionamento à velocidade variável controlado por inversor de frequência. Para os cálculos da eficiência energética e exegética do sistema analisado foi utilizado o software EES (Engineering Equation Solver). O sistema de refrigeração representa exergia total de 87,58 kwh resultando em um consumo médio anual de R$ 289.812,73 que representa aproximadamente 13% do consumo energético anual. O cálculo do payback descontado apresentou prazo de retorno de investimento de 7 anos, 5 meses e 27 dias, vide tabela 15. A utilização dos inversores de frequência integrados ao sistema de controle dos compressores, vide Figura 4 Compressor 1 e 2 operando com inversor de frequência, e, Figura 9 comparação inversor de frequência x Soft Starter que apresentou redução de potência elétrica dos motores dos compressores 1 e 2 em média de 50%, fato que resultou em 20% de economia de energia elétrica nos dois compressores.

Data: 01/01/2017

Banca avaliadora: Prof. Dr. José Leôncio Fonseca de Souza; Prof. Dr. Mauri Fortes; Profa. Dra. Wanyr Romero Ferreira

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com