A GESTÃO DE PROCESSO COMERCIAL DO VAREJO DE ALIMENTAÇÃO: ADAPTAÇÃO A UMA NOVA REALIDADE ECONÔMICA - Ietec

A GESTÃO DE PROCESSO COMERCIAL DO VAREJO DE ALIMENTAÇÃO: ADAPTAÇÃO A UMA NOVA REALIDADE ECONÔMICA

Mestre
PEDRO AUGUSTO CASSANO DE OLIVIERA

Para quem nunca imaginou acontecer, no dia 11 de março de 2020 foi declarada a pandemia do Coronavírus Disease-19 (COVID-19) ou o novo Coronavírus, como é popularmente conhecido, pela Organização Mundial de Saúde (OMS) (GRANATO, 2020). Refere-se a uma virologia que acarreta em infecções respiratórias e outros agravos, sendo conhecido pela primeira vez no ano de 1937 e descoberto uma nova tipologia, recentemente, em 31 de dezembro de 2019 em Wuhan, na China (FINKLER; ANTONIAZZI; CONTO, 2020). A pandemia do Covid-19, mediante uma chegada brusca, rompeu com estruturas administrativas e financeiras e planejamentos estratégicos de qualquer organização, independentemente do porte e segmento, justamente pelos impactos causados em seus processos produtivos. E, especificamente no segmento varejista, veio interpelar seu processo comercial, sendo uma área de extrema importância para seus faturamentos e receitas. As medidas de isolamento e distanciamento social e o fechamento de comércios vieram lacrar uma situação declarada como emergencial, tanto para a crise sanitária, quanto para o caos no funcionamento de empresas – que não encontraram outra alternativa, senão a elaboração de estratégias emergenciais para reinventar o gerenciamento de processos de negócios. Desta forma, o objetivo geral deste estudo é manter aberto e alavancar as vendas do Restaurante Ouro Velho de São João del-Rei/MG, em relação à gestão do seu processo de negócios (processo comercial) para o enfrentamento dos impactos e desafios e adequações ao ‘novo normal’, impostos pela crise sanitária – caracterizando-se, portanto, como um estudo de caso. A pequena empresa familiar, cuja gestão é centralizada e tradicional, atuante no município há 3 gerações, tinha (anteriormente à pandemia) suas receitas sustentadas pelos turistas de Classe A e B e empresários e executivos locais, considerando estar inserida em uma região cultural de reconhecimento nacional e internacional e, ainda, com aquecimento turístico durante todo o ano. Com o fechamento do comércio e com a paralização turística, precisou lançar mão de um novo processo comercial com a clientela/sociedade local, caracterizada como consumidores digitais intensificados pela crise sanitária – sendo este o segmento que lhe foi imposto para continuidade das atividades. Foi desafiado ao enfrentamento do ‘novo normal’ e para tanto, o Business Process Management (BPM) – propenso, principalmente, para ocasiões e situações em que as organizações demandam por mudanças – foi utilizado como metodologia para desenvolvimento da estratégia adotada: a comercialização eletrônica. Mediante descentralização de sua gestão, adesão à inovação e remodelagem de seu processo produtivo e comercial e (re)valorização do capital intelectual de seus recursos humanos, o restaurante em estudo, por meio do uso das redes sociais (Instagram, Facebook e WhatsApp), encontrou uma saída para a manutenção das suas atividades comerciais na condição de delivery, obtendo como resultado a continuidade do seu negócio, frente uma nova segmentação de clientes, devidamente estudado e mapeado, resultando em crescimento gradativo do negócio e alavancagem do faturamento. Além disso, com a flexibilização e a retomada parcial do turismo e funcionamento do comércio, obedecendo aos decretos sanitários, retomou suas vendas presenciais junto à clientela turística e empresários e executivos locais, mas não deixou o formato de comércio digital. Ampliou assim seu marketing share, ampliou seu mercado e inovou seu processo de gestão.

Data: 06/09/2021

Banca avaliadora: Profa. Dra. Wanyr Romero Ferreira; Prof. Dr. Eduardo Trindade Bahia; Prof. Dr. Fernando Haddad Zaidan

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com